Entenda quais os benefícios de estudar com bom humor

137380499

 

Enfrentar uma maratona de estudos não é nada fácil, além de ser bem cansativo. Já demos várias dicas de estudo, sobre organização, técnicas de memorização, aprendizagem, etc. Porém, nada disso funcionará corretamente se você não tiver um fator essencial: bom humor.

 

O bom humor reduz a liberação dos hormônios do estresse, aumenta o número de células imunes a anticorpos que combatem as infecções, melhorando assim sua resistência às doenças. Além disso, ele também provoca a liberação de endorfinas, substâncias químicas associadas ao bem-estar do corpo. As endorfinas promovem uma sensação geral de bem-estar e podem até aliviar temporariamente a dor.

 

Para você ter uma ideia: uma simples risada alivia a tensão física e o estresse, deixando seus músculos relaxados por até 45 minutos depois e ajuda a resolver conflitos e problemas. Sabendo disso tudo, é muito importante começar sua maratona de estudos bem humorado e com pensamentos otimistas, pois só vai aumentar sua produtividade e rendimento.

 

Mesmo assim, está sendo difícil manter o bom humor? Nós te ajudamos.

Foque no seu sonho: Por que você está estudando? Qual o cargo que você almeja? Você quer sair de sua zona de conforto e evoluir profissionalmente?

Pense em todas as coisas que estão te motivando em prestar um concurso público, coloque essa força dentro de si e tenha bons pensamentos. Nunca vá estudar considerando que é uma obrigação, mas sim, uma caminhada em busca de um sonho, além disso, tenha em mente que essa é uma fase passageira e, em breve, estará colhendo os frutos de seus esforços.

 

Tem aquela matéria que te deixa para baixo? Não fique desanimado, ao invés disso, vire o jogo! Comece a treinar e pense de forma positiva: “vou entender e compreender todo o conteúdo”. Tenha determinação! Lembre-se que nos dias atuais, ter conhecimento é um diferencial enorme que não te tornará somente um bom profissional, mas um ser humano melhor.

 

Conhecimento é poder!

 

A maratona de estudos te cansou? Não tem problema, faça uma pausa para aliviar a tensão e mexer os músculos. Uma boa dica é fazer algum exercício como, por exemplo, uma caminhada.

 

Alguém te interrompeu? Não fique zangado. Cultive um bom relacionamento com as pessoas em sua volta. Explique que precisa se concentrar nos estudos. Uma boa conversa pode resolver todos os problemas de relacionamento e você não se estressará sem motivos.

 

Mais do que apenas um alívio perante a tristeza e a dor, o bom humor lhe dá coragem e força para encontrar novas fontes de significado e esperança. Mesmo nos tempos mais difíceis, um riso (ou até mesmo um simples sorriso) pode fazer você se sentir melhor.

Sorteio: livro “Manual de Direito Previdenciário” da Editora Ferreira

artes-facebook-editora-ferreira

 

O IOB Concursos, em parceria com a Editora Ferreira, vai sortear um livro indispensável na área previdenciária: “Manual de Direito Previdenciário”, de Hugo Goes. Não dá pra ficar de fora dessa!

 

A obra trata do custeio da Seguridade Social e dos benefícios e serviços da Previdência Social. Por meio de teoria consistente e questões ao fim de cada capítulo, o livro apresenta todo o conteúdo cobrado em provas de Direito Previdenciário pelas principais instituições organizadoras. Para quem pretende prestar o concurso do INSS, essa é uma ótima leitura!

 

Atualizado conforme a Lei 13.063, de 30/12/2014; a Medida Provisória 664, de 30/12/2014; a Portaria Interministerial MPS/MF 13, de 9/01/2015; e a Instrução Normativa INSS 77, de 21/01/2015.

 

O livro conta com 864 páginas e para participar do sorteio é fácil! Basta preencher o formulário abaixo e torcer muito! O sorteio e a divulgação do ganhador serão realizados no dia 15 de junho, segunda-feira, aqui no blog e nas nossas redes sociais. Boa sorte!

 

 

 

Hugo Goes é auditor-fiscal da Receita Federal do Brasil e professor de Legislação Previdenciária experiente, o autor aborda a matéria de forma didática e em linguagem clara, tendo em vista que a obra se destina essencialmente a concursandos das mais diversas áreas de formação.

 

Aproveite para começar a estudar para o concurso do INSS com o IOB Concursos!

 

 

8 dicas fundamentais para uma boa redação de concurso

dicas-redacao-de-concurso

Elaborar uma redação bem feita e adequada aos temas propostos é um diferencial e ao mesmo tempo um desafio para quem costuma prestar concursos públicos. Além disso, o candidato deve apresentar um texto interessante com bons argumentos e bom domínio das peculiaridades do assunto proposto pela banca examinadora. Entre os concursos que incluíram a etapa de prova discursiva estão o concurso do Tribunal de Justiça – SC, concurso do Depen, concurso do TJDFT e o concurso do TRT 16ª Região.

 

Para quem realizou inscrição para uma dessas seleções e pretende se sair bem na avaliação dissertativa, é fundamental praticar, dominar as regras da língua portuguesa e saber redigir um texto objetivo e conciso. Para isso, o IOB Concursos selecionou 8 dicas essenciais para realizar uma ótima redação de concurso público. Confira:

 

1.Domine a gramática

Inicialmente, o candidato deve dominar as principais regras gramaticais, como concordância verbal e nominal, regência, conjunções, crase e pontuação. Consultar um livro de gramática para se aprofundar nessas regras e escrever sobre diversos temas são ótimas formas de estudo para fixar as informações.

 

2.Atente-se ao formato do texto

É importante estar atento ao formato de texto pedido no enunciado da prova. Os tipos que mais aparecem são os textos dissertativos expositivos e os textos dissertativos argumentativos, que tratam de assuntos de áreas específicas do concurso.

 

3.Leia para escrever

Uma coisa é certa: quem não lê, não escreve. Por meio da leitura, o candidato adquire um vocabulário mais rico, absorve conhecimento sobre diversos temas, dados, pesquisas, além de ser capaz de analisar e formar sua opinião.

 

 

4.Seja conciso

A redação deve ser enxuta com frases objetivas, pois assim, fica mais fácil de ler, além de contar pontos na correção. Evite repetir palavras como “que”, “onde” e “mas”, substitua por sinônimos e não repita as mesmas ideias. Uma ótima forma de praticar é fazendo redações de provas anteriores do concurso que você prestará.

 

5. Use argumentos

Use argumentos fundamentados em sua redação e evite as generalizações como por exemplo, “A educação brasileira é precária”. Use dados de pesquisas, nomes de autores e bibliografia de sua área que comprovem essa informação. O seu texto deve provocar o senso crítico e os clichês tornam a redação desinteressante.

 

6. Use os termos conectores

Como citado acima, uma boa redação deve conter argumentos e eles devem estar ligados entre si. Use os termos conectores como “porém”, “portanto”, “ou seja” e “embora”, pois amarram as ideias da redação.

 

7. Modere nas afirmações

Evite afirmações como “sempre” e “nunca”. Tenha cautela ao argumentar um aspecto do tema e evite o discurso inflamado típico das redes sociais.

 

8. Desfecho

Por fim, a redação deve ter um bom desfecho com uma solução para o problema, de forma a provocar uma reflexão ao leitor.

 

 

Conhecimento: A virtude e o Risco do Mínimo Existencial

livro

Já ouviu a expressão “um oceano de conhecimento com um palmo de profundidade”? Ela reflete bem o risco que corremos de buscar cada vez mais conhecimento sem termos condições ou tempo de nos aprofundar nos temas que passamos a conhecer.

Conhecer um tema é o mesmo que conhecer alguém. Só se conhece. Não é amigo, não sabe quais são suas preferências, ignora o que o irrita, deixa de lado o que importa a ele. No estudo é a mesma coisa. Tome como exemplo conhecer um tema: saber da existência de do Tribunal Penal Internacional.

Sei que ele existe, que sua sede é em Haia e posso até avançar sobre o tema em suas atribuições. PONTO. Isso me garante um papo descontraído com alguns amigos, me deixará com a carinha de culto… Mas meus amigos, a realidade dos concursos públicos e da especialização que o mundo pede a todos os profissionais, seja lá de que área forem, massacra minha pose de tudólogo.

Fiasco completo!

E esse é o risco que percebo nos estudantes de hoje, quando abordo temas como terceirização, feminicídio, impeachment, redução da menoridade penal, fundo de garantia. Todos esses temas que estão circulando na mídia e que acabam, cedo ou tarde, sendo cobrados em profundidade nas provas, estão sendo abordados somente no nível do conhecer.

Bons estudos.

 

Por Leonardo Pereira

O que um Defensor Público faz e sua importância?

119785384

Os Defensores Públicos são profissionais graduados em Direito que ingressam na Defensoria Pública por meio de um concurso público de provas e títulos. Abaixo, vamos explicar sobre seu dia, o que é Defensoria Pública e o que o Defensor Público faz, confira:

 

O dia do Defensor Público

Dia 19 de Maio, comemora-se o dia do Defensor Público. A data faz reverência a Ivo Hélory de Kermartin, mais conhecido como “Santo Ivo”. Nascido na França, na comuna de Minihy-Tréguier, em 17 de outubro de 1253, foi canonizado pela Igreja Católica Romana, tornando-se santo. Santo Ivo era franciscano terciário (da Terceira Ordem Franciscana) e ficou conhecido pela sua defesa intransigente dos injustiçados e dos necessitados, garantindo-lhe o título de advogado dos pobres.

Tornou-se sacerdote e construiu um hospital, onde cuidava dos doentes com as suas próprias mãos. Ele mesmo, buscava nos castelos, cavalos e carneiros roubados dos pobres, sob o pretexto de impostos não pagos. Ivo faleceu em 1303, com 50 anos de idade e, atualmente, a cada ano, o dia de Santo Ivo reúne, em Tréguier, junto ao seu túmulo, impressionantes multidões de fiéis, especialmente, os advogados da França.

 

O que é Defensoria Pública?

É uma instituição pública que presta assistência jurídica gratuita àquelas pessoas que não podem pagar por esse serviço. De acordo com a Constituição Federal, todo indivíduo, brasileiro ou estrangeiro, tem o direito fundamental de acesso à justiça, ou seja, caso não tenha condições financeiras de pagar um advogado particular, o Estado Brasileiro tem o dever de garantir assistência jurídica gratuita, por meio da Defensoria Pública.

Portanto, é sua tarefa garantir aos seus assistidos os serviços prestados por um defensor público, que lhe representará diante da Justiça, para propor ações, acionar acusados, fazer defesa, atuar junto às unidades prisionais e junto ao consumidor, além de orientar e fazer acordos, conciliações e termos de conduta, dentre outros.

Além disso, ela pode prestar seus serviços de assistência jurídica às associações de bairro e organizações, propondo ação civil pública em questões de meio ambiente, direitos fundamentais da pessoa humana e interesses individuais e coletivos. Mas é importante lembrar que é preciso que a associação ou organização comprove não ter condições de pagar as despesas do processo.

 

Quem são os Defensores Públicos?

São profissionais formados em Direito que prestaram um concurso público específico para prestar assistência jurídica gratuita nas áreas: civil, familiar, criminal e execução criminal.

Os Defensores Públicos possuem prerrogativas, tendo como destaque: a independência funcional, acesso irrestrito a estabelecimentos prisionais e de internação de adolescentes, poder de requisitar documentos a órgãos públicos, examinar autos sem procuração, solicitar auxílio de demais autoridades para o desempenho de suas funções, entre outros.

Em outras palavras, o Defensor Público é um advogado que prestou um concurso e tem como função prestar atendimento jurídico e entrar com ações para pessoas carentes.

 

Quais as funções de um Defensor Público?

Esses profissionais tem o objetivo de levar a Justiça para todos os cidadãos, e fortalecer o princípio da igualdade e garantia da cidadania, conforme os termos do art. 64 da Lei Complementar 80/94:

- Orientar, postular e defender os direitos e interesses dos necessitados, em todos os graus de jurisdição e instâncias administrativas;

- Atender às partes e interessados;

- Postular a concessão de gratuidade de justiça para os necessitados;

- Promover a tentativa de conciliação extrajudicial entre as partes, quando cabível, antes de ingressar com a respectiva ação judicial;

- Acompanhar e comparecer aos atos processuais e impulsionar os processos;

- Introduzir recurso para qualquer grau de jurisdição e promover Revisão Criminal, quando cabível;

- Defender os acusados em processo disciplinar.

 

O defensor público pode atuar nas áreas de saúde, educação, previdência social, assistência social, moradia, liberdade, ações coletivas, FGTS e, até mesmo, pode promover a defesa dos direitos humanos fundamentais das minorias: mulheres e crianças, idosos, deficientes, homossexuais e negros vítimas de preconceitos.

Trabalho do Menor, Terceirização, Metas, Educação, Concurso Público, Redução da Menoridade

122583474

Em lugar de discutir a redução da menoridade penal, que tal analisarmos a partir de que idade um jovem (meninos ou meninas) pode começar a trabalhar?

Não seria mais digno e correto estarmos estruturando, tal como fez a China décadas atrás, modelos de ensino inclusivos, que, no nosso caso, também tivessem um viés de adequação prática às possibilidades dos jovens se integrarem mais cedo ao mercado de trabalho?

Por exemplo, tal como existem as regras de reserva de vagas para concursos, por que não exigir que todos os órgãos públicos tenham obrigação de contratação de um número maior de jovens atuando em funções diversas? Em lugar de discutirmos a terceirização, por que não abordarmos funções que muito melhor seriam executadas se uma parcela da remuneração dos atuais servidores estivesse vinculada ao alcance de metas de produtividade, tal como tão acertadamente fazem as empresas privadas?

Bem, diante dessas ponderações, trago a leitura do artigo 402 da CLT:

Considera-se menor para os efeitos desta Consolidação o trabalhador de quatorze até dezoito anos

Ou seja, muito antes de ser hábil ao processamento criminal, o menor está pronto para trabalhar. Não nos parece então muito mais simples e digno, para uma nação que pensa décadas à frente, discutir hoje como viabilizar mais meios desse trabalho?

E sim, por alguns anos, ainda conviveremos com os jovens dessas gerações que esquecemos, delinquindo e não sendo criminalizados à luz do Código Penal. É o preço a ser pago por nossa coculpabilidade. Mas, com o passar dos anos, penso termos feito a coisa certa para corrigir tais falhas.

 

Por Leonardo Pereira

Cansado demais para estudar? Confira algumas dicas para ter mais energia!

estudos

 

Cansaço, preguiça, fadiga, independente do nome que damos, o fato é que esse tipo de sensação impede nossos estudos. Vivemos em um mundo agitado, com cada vez mais compromissos e menos tempo disponível, o que exige muito de nossa energia física e mental.

Mas podemos cultivar alguns hábitos saudáveis que podem garantir mais energia durante o dia a dia. Tudo dependerá de nos ajustarmos de uma maneira eficiente e disciplinada diante de alguns fatores, como tempo, descanso, alimentação, etc.

A falta de memória para alguns assuntos simples também pode ser sinal de que seu corpo precisa de uns reajustes quanto aos seus hábitos. Já, algumas vezes, é preciso consultar médico para ver se está tudo certo com sua saúde, pois o cansaço excessivo pode ter origem patológica.

Caso esteja tudo certo com sua saúde, é bom se conscientizar sobre alguns pontos. Confira baixo:

 

1 – Ambiente
Um ambiente desconfortável e barulhento te deixará mais cansado em menos tempo. Procure estudar em um lugar tranquilo e confortável e evite ficar debruçado horas a fio nos materiais. Realizar pequenas pausas é importante para relaxar e acalmar o cérebro.

 

2 – Durma o suficiente
Especialistas afirmam que é preciso dormir de 7 a 8 horas por dia para ter um descanso adequado. Não force seu corpo além disso, pois é quando dormimos que o corpo repõe as energias para começar um novo dia com vitalidade.

 

3 – Alimentação
Uma boa alimentação é sua principal aliada na prevenção da fadiga. Tenha em mente que deve manter os níveis do complexo B e o magnésio, além disso, as vitaminas B1, B2 e B3 estão relacionadas diretamente na transformação da glicose dos alimentos para energia que faz nosso corpo funcionar.

O magnésio tem ações importantes nas células musculares e também participa dos impulsos elétricos do cérebro. Os alimentos recomendados são: aveia, arroz integral, ovos, banana, abacate, ervilhas, brócolis, vegetais verde-escuro e feijão.

 

4 – Exercite-se
A vida sedentária só vai te deixar cada vez mais cansado, é um ciclo. Portanto, praticar esportes ou realizar qualquer tipo de atividade física ajuda a manter o cérebro ativo e alerta por mais tempo, evitando a fadiga mental. As recomendações são de exercícios físicos diários por, pelo menos, meia hora. Além disso, caminhadas ao ar livre ajudam a relaxar e eliminar o estresse!

 

5 – Tenha folgas
É preciso tirar um dia de folga para espairecer nossa mente para encarar os desafios do dia a dia. Não se cobre muito, faça um calendário e estipule dias ou horas de folga para o lazer e divertimento.

 

Com algumas dessas dicas é possível aumentar sua disposição para realizar as tarefas do dia a dia e estudar para aquela tão sonhada vaga de concurso público. Bons estudos!

“Na internet é mais barato?” – Mantenha vivo seu comerciante local!

e-commerce

Pelo mundo afora, bilhares de pessoas compram cada vez mais pela internet, justificando seus novos hábitos na praticidade e nos melhores preços encontrados na web, dado que uma loja virtual não tem os mesmos custos operacionais de uma loja física.

Pelo lado da praticidade, concordo plenamente!

Imagine um curso como o IOB Concursos, resolvendo tornar-se um curso presencial: escolheríamos um município, abrindo mão de outros 5569, obrigando os alunos do escolhido a frequentarem as aulas nos dias e horários que o curso estabelecesse. Só de pensar me sinto na idade média…

Mas sob a ótica do preço, conclui na semana passada a necessidade de manter meu fornecedor local vivo. Explico: um dos maiores provedores de internet do Brasil lançou um site farmacêutico, do qual tomei conhecimento dias atrás. Rapidamente busquei o preço das fraldas de minha filha de um ano e meio, esperando encontrar preços bem melhores que o da farmácia onde costumo comprar.

Qual não foi a minha surpresa ao encontrar preços mais altos, que ainda seriam acrescidos de frete. Revoltado com a mudança de paradigma (internet = + barato), comecei a pensar que se deixarmos nossos fornecedores locais à mingua, logo eles encerrarão suas atividades e, mais rápido, ainda estaremos pagando mais caro para ter o que queremos pela internet. CILADA meus amigos!

Por isso, aproveitando o que pode ser aproveitado pela internet, mantenha vivo seu comerciante local!

 

Por Leonardo Pereira

Dúvida: Concursos de Nível Médio ou de Nível Superior?

dúvidas concursos Por Leonardo Pereira. Em momentos de dúvidas e incertezas, similares a estes nos quais estamos à espera de inúmeros editais, e mais próximos da aprovação da Lei Orçamentária de 2015, acabamos perguntando por que não fazer um concurso que não seja diretamente relacionado à nossa formação acadêmica.

A análise mais simples a ser feita envolve os concursos que exigem nível superior, variando a formação do candidato. Por exemplo, os concursos da área fiscal têm a mesma exigência dos concursos da área de segurança, ou seja, diploma de graduação em nível superior. Mas variam tanto as disciplinas, que mesmo o primeiro requisito estando atendido, a graduação, mudar o foco dos estudos pode representar começar do zero todo o trabalho de preparação. De outro lado está situação ainda mais comum: concursos de nível superior e concursos de nível médio. Claro que candidatos que só tenham formação de nível médio, não se preocupam muito com esse dilema, pois só conseguem variar em relação à primeira hipótese. O perigo reside na intenção do candidato com nível superior fazer concursos de nível médio, incorrendo nas duas variantes: nível e área. E é mais comum do que o que se imagina. Por exemplo, um economista, que estuda para concursos de Auditor Fiscal da Receita Federal, decidindo fazer concurso para Técnico do INSS. A chance de êxito no curto prazo é muito baixa, por mais preparado que ele esteja para o concurso de nível superior. Afirmo isso com base em números: os candidatos aprovados e nomeados nos últimos grandes concursos de nível médio tiveram nota de aproveitamento próxima de 100. No exemplo dado, AFRF, a nota de aproveitamento também será perto disso. Mas a diferença sutil reside no fato de que alguns concursos, como os citados, exigem profissionalismo por parte do estudante. Ou seja, ele precisa estar entre os melhores para lograr êxito. Como é então que posso fazer mais de um concurso, ou fazer concursos enquanto aguardo meu edital? Seria fácil se a resposta fosse simples…, o que pode ser feito é escolher, no curso de sua preparação, editais que tenham disciplinas similares às que você estuda. Tal medida pode conduzi-lo à aprovação em um concurso intermediário, enquanto você continua estudando para seu concurso fim. Bons estudos.

5 Filmes para motivar qualquer concurseiro

filmes-motivar-concurseiro

Para conseguir a aprovação em um concurso público, é necessário manter persistência e a disciplina. E, dependendo da concorrência no concurso, o ingresso no setor público pode levar anos de dedicação e preparo.

Se você vai prestar concurso público e está se sentindo desmotivado, por que não buscar inspiração nas histórias cinematográficas? Alguns títulos contam histórias verídicas de superação e de busca incansável pelos sonhos. Confira a seguir algumas indicações:

 

“Uma lição de vida”

Esse filme é baseado em fatos reais e conta a história de Kimani Maruge (Oliver Litondo), um homem nascido no Quênia de 84 anos que se matricula em uma escola primária, em 2003, depois que o Governo do Quênia oferece serviço de ensino básico gratuito.  Para aprender a ler e escrever, ele se junta à crianças de seis anos de idade.

O filme relata a busca pelas conquistas e méritos e que não há limites quando existe um sonho. A história é muito inspiradora para candidatos que se sentem desmotivados por tentar prestar concurso novamente.

“Uma lição de vida”, direção de Justin Chadwick

 

“Para sempre Alice”

A Dra. Alice Howland (Julianne Moore) é uma professora de linguística renomada. Aos 50 anos de idade, Howland começa a esquecer certas palavras e a se perder pelas ruas de Nova York. Ela descobre que está com Alzheimer e a doença coloca em prova a sua força e o apoio de sua família.

O drama provoca reflexões sobre a memória, o aprendizado e o conhecimento que são recursos muito importantes para qualquer, além de reafirmar a importância do presente.

“Para sempre Alice”, direção de Richard Glatzer e Wash Westmoreland

 

“Quem quer ser um milionário”

Jamal K. Malik (Dev Patel) é um jovem indiano pobre que trabalha servindo chá em uma empresa de telemarketing. Um dia ele resolve se inscrever em um popular programa de TV “Quem Quer Ser um Milionário?” que oferece um prêmio de 20 milhões de rúpias. Ele encontra em fatos de sua vida as respostas das perguntas feitas.

A história do longa traz uma ótima lição de vida sobre como transformar dificuldades em ensinamentos úteis, dicas muito importantes para a aprovação em um concurso público.

“Quem Quer Ser um Milionário”, direção de Danny Boyle

 

“Homens de honra”

O filme é baseado em uma história real e conta a trajetória de Carl Brashear (Cuba Gooding Jr), um negro pobre que adorava mergulhar e pretendia se tornar mergulhador profissional na Marinha. Por ser pobre, Carl teve que trabalhar como cozinheiro, uma das poucas tarefas que o negros podiam exercer na década de 40, nos Estados Unidos. Por iniciativa do capitão Pullman (Powers Boothe) ele se torna “nadador de resgate” da Marinha. Após vários conflitos por racismo, ele se torna o primeiro negro a conquistar o título de mergulhador chefe da Marinha americana, uma função, até então, só era concedida a brancos.

O filme ensina que a descrença geral sobre o seu potencial é o combustível para a vitória. É muito comum concurseiros ouvirem dizer que a aprovação é impossível e que é melhor desistir.

“Homens de honra”, direção de George Tillman Jr.

 

“Invictus”

Eleito presidente há pouco tempo, Nelson Mandela (Morgan Freeman) sabia que a África do Sul ainda era um país economicamente dividido e racista por conta do Apartheid. Por meio da Copa do Mundo de Rúgbi, Mandela resolve usar o esporte para unir a população juntamente com o capitão da seleção de rúgbi da África do Sul.

Entretanto, o objetivo de Mandela e o capitão da seleção era quase impossível, pois eles precisavam levar à vitória um time que era vaiado pelos próprios sul-africanos. Para quem vai prestar concurso, a lição que fica é que a vitória é possível mesmo diante de grandes dificuldades.

“Invictus”direção de Clint Eastwood