Dicas para gabaritar inglês em concursos

ingles

Dedicação, preparo e muita leitura. Esses são os principais requisitos para o sucesso de um prova de inglês. Decorar as principais regras gramaticais deixou de ser prioridade e o candidato deve dominar o idioma de modo geral e não, apenas, uma estrutura.

 

Questões do tipo “Identifique as orações que estejam no Present Perfect” ou “Complete as sentenças com a forma correta do verbo Present Simple” são raras, afirma Denilso de Lima, professor de inglês, autor e criador do site Inglês na Ponta da Língua.

 

Para o especialista, esses tipos de enunciados simplistas são encontrados apenas em cursos de inglês e exames que estão mais preocupados em avaliar o conhecimento gramatical do candidato, do que avaliar como ele realmente usa e entende a língua. “O mais interessante é que o candidato saiba o suficiente para o exame e seja capaz de colocar o todo a seu favor. Um texto não terá apenas estruturas no passado, presente ou futuro. O modo como o texto é amarrado – uso de conjunções – é tão importante quanto saber regras gramaticais mais genéricas”, descreve Denilso.

 

Para quem vai prestar concurso público, é essencial conhecer o estilo da prova de inglês, fazer simulados, cronometrar cada questão e saber o que deve fazer em cada parte. Além dessas técnicas, é importante praticar a leitura em inglês, pois aumenta o vocabulário e ajuda a se acostumar com as estruturas gramaticais de modo natural.

 

Sobre interpretação de textos o candidato deve desenvolver 4 conhecimentos: o léxico-semântico, o sintático, o de gêneros textuais e o de mundo, destaca Denilso. “O primeiro tem a ver com saber palavras, expressões, gírias e colocações. Enfim, desenvolver um bom vocabulário. O segundo refere-se à gramática, ou seja, conhecer o modo como as sentenças se organizam, de modo a ser capaz de compreender o uso das estruturas e afins”, explica Lima.

 

O terceiro conhecimento está ligado ao fato da pessoa saber que tipo de texto está diante dele: artigo de jornal, poema, conto, relatório, carta ou fábula. “Reconhecer o tipo de texto ajuda o leitor a saber que tipo de palavras e estruturas serão encontradas nele”, descreve.

 

Por fim, é necessário dominar conhecimento de mundo e esse envolve a vida do candidato. O que ele sabe sobre o mundo, quais suas percepções sobre os assuntos do momento. “Se no exame o texto aborda políticas ambientais, o candidato poderá ter facilidade para interpretá-lo se tiver algum conhecimento sobre o assunto. Assim, quanto mais integrado dos assuntos da atualidade o candidato estiver, melhor será”, aconselha Denilso.

 

Segundo Denilso de Lima, para quem está interessado em praticar a leitura de forma mais aprofundada, existem jornais e revistas online que servem como fonte de estudo como CNN, BBC, The Times, The Wall Street Journal, The Economist, The Sun e The New Yorkers, cita.

 

Além disso, o estudante pode ainda comparar os textos em inglês com os textos em português, quando possível. “Por exemplo, no momento, estamos tendo nossa corrida presidencial no Brasil, a dica é que o estudante leia textos em português sobre o tema e depois procure nos noticiários internacionais textos que também abordem o assunto corrida presidencial no Brasil. Fazendo isso, o estudante estará diante de um assunto comum a ele – conhecimento de mundo –e ele passará a ver com aquele tema é apresentado em outra língua – melhorando assim o seu conhecimento léxico-semântico e sintático”, conclui.

 

Denilso-de-Lima

Denilso de Lima é autor de três livros na área de língua inglesa pela editora Elsevier Campus: Inglês na Ponta da Língua, Gramática de Uso da Língua Inglesa e Combinando Palavras em Inglês. É também o criador do site Inglês na Ponta da Língua, um dos maiores e mais completos sites de dicas de inglês do Brasil. Denilso também dá palestras e cursos em faculdades, escolas e órgãos governamentais ou empresas.

 

Opinião de quem conhece o Direito Administrativo: Temas mais importantes

Por Leonardo Moreira Pereira

 

foto_leonardo_pereira

 

LEONARDO PEREIRA é Advogado graduado pela PUC de Minas Gerais. Possui pós-graduação em Direito Público e em Direito Privado, ambas pelo Instituto Metodista Isabela Hendrix. Mestre em Direito Empresarial pela Faculdade de Direito Milton Campos. Ex-Diretor de Ensino do Praetorium, Instituto de Pesquisa, Ensino e Atividade de Extensão em Direito. Atualmente é Diretor Acadêmico do IOB Concursos Marcato.

 

 

Tendo escolhido a disciplina de Direito Administrativo para ser avaliado na segunda fase do Exame da OAB, tenho alguma familiaridade com o tema, sentindo-me habilitado para dizer a vocês quais são os pontos que reputo como mais importantes, visto do plano geral ou seja, primeira e segunda fase.

 

O plano geral impõe o conhecimento do Regime Geral de Direito Administrativo, tema inclusive de uma maravilhosa palestra grátis do Ministro da Justiça, Exmo. Sr. Dr. José Eduardo. Conhecida a organização geral da administração pública, fatalmente passamos a entender melhor quase todo o direito, pois os princípios que a regem, lançam luz para todo o direito. E é muito comum que se conheça a regra mnemônica “LIMPE”, para que se identifiquem os princípios constitucionais da Legalidade, Impessoalidade, Moralidade, Publicidade e Eficiência.

 

A partir deles, a organização da administração pública toma forma, fica mais clara. E como um tema puxa o outro, a impessoalidade me faz lembrar de questões que sempre são abordadas, versando sobre desafetos políticos que fazem uso da máquina estatal para propor desapropriações. E aqui temos o tema que sempre está presente nas provas, especialmente quando tratam de Reforma Agrária ou para fins de interesse público. Sobre esse assunto, minha sugestão para o estudante é que entenda bem das questões que dizem respeito à indenização e a recusa à proposta realizada pela administração.

direito-administrativo-blog

Da desapropriação, vendo a administração por cima, não é possível que se logre êxito em qualquer prova, sem que se conheça a divisão da Administração Pública Direta e Indireta, sendo a primeira de mais simples domínio. A dificuldade está na identificação de tudo o que está debaixo do guarda-chuva da administração indireta. Nessa divisão que proponho análise, devem ser estudados pontos como Fundações, Autarquias, OS, OSCIP, Agências Reguladoras, tipo de capital para formação e uma questão que os examinadores adoram: Responsabilização dos gestores, tipo de controle sobre os investimentos e formação do capital. Claro que sugiro que vejam aqui a Responsabilização Civil do Estado.

 

Falando em gestores, salto ao tema dos Servidores Públicos, alei 8112/90 e o ponto que vem sendo cada vez mais explorado pelos examinadores e que muito gera confusão: Que regra deve ser seguida (ou qual o instrumento normativo) para os servidores públicos estaduais e municipais. Questões como essas exigem tempo e paciência para sua correta interpretação.

 

Fechando o levantamento dos grandes temas que julgo relevantes para estudo e formação do candidato, Licitação é o tema que sempre esteve presente nas provas e que sempre continuará estando. Digo isso porque como são inúmeras as possibilidades dentro dos tipos de licitação previstas, o examinador encontra na Lei 8666/93 vasta gama de hipóteses para perguntas.

Mais de 32 mil vagas estão abertas, com salários de até R$ 25.260,19

Mapa-do-Brasil

Quem quer garantir uma das 32.514 vagas em cargos públicos não pode ter folga não. Os concursos são concorridos e as oportunidades são imensas, então, aproveite este ano promissor para estudar como nunca e tenha uma vantagem entre seus concorrentes.

 

Uma dessas vagas pode seu sua! Garanta seu futuro, e desfrute das vantagens de ser um funcionário público.  Estude online no IOB Concursos Marcato.

 

Clique aqui para conferir as vagas abertas.

Mais de 42 mil vagas abertas com salários de até R$ 25.260,19

Mapa-do-Brasil

Quem quer garantir uma das 42.968 vagas em cargos públicos não pode ter folga não. Os concursos são concorridos e as oportunidades são imensas, então, aproveite este ano promissor para estudar como nunca e tenha uma vantagem entre seus concorrentes.

 

Uma dessas vagas pode seu sua! Garanta seu futuro, e desfrute das vantagens de ser um funcionário público.  Estude online no IOB Concursos Marcato.

 

Clique aqui para conferir as vagas abertas.

Marco Civil da Internet

Por Leonardo Moreira Pereira

 

foto_leonardo_pereira

 

LEONARDO PEREIRA é Advogado graduado pela PUC de Minas Gerais. Possui pós-graduação em Direito Público e em Direito Privado, ambas pelo Instituto Metodista Isabela Hendrix. Mestre em Direito Empresarial pela Faculdade de Direito Milton Campos. Ex-Diretor de Ensino do Praetorium, Instituto de Pesquisa, Ensino e Atividade de Extensão em Direito. Atualmente é Diretor Acadêmico do IOB Concursos Marcato.

 

 

Certamente não ouvimos falar de tudo, mas ainda vamos nos deparar com o lidin case envolvendo alguma questão relacionada ao Marco Civil da Internet, ou Lei 12.965 de 2014 como a mesma ficou conhecida. Digo isso porque a efetiva mudança de alguns institutos dependeram de casos de ampla repercussão social, como a Lei de Crimes Hediondos (Caso Daniela Perez), Lei Maria da Penha (Caso Maria da Penha), Lei Carolina Dieckman (crimes cibernéticos) e assim por diante.

No caso em questão já temos a lei, mas não dominamos todo relacionamento com servidores, não dominamos como Estado Soberano todas as implicações de ordem técnica.

Afirmo isso pois faço um exercício de espelhamento de nossa identidade para o ambiente virtual e assim, não consigo imaginar que tudo o que aconteça no ambiente virtual, já encontre a segurança e a regulamentação necessária à que se destina a lei.

A intuição do legislador ao criar a lei era a de regular o uso da internet por meio de princípios e garantias, especialmente no que diz respeito ao acesso de dados pessoais dos usuários. Se buscarmos na Constituição da República um indicativo dessa relação, certamente estaríamos diante do art. 5º, X:

“X – são invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas, assegurado o direito a indenização pelo dano material ou moral decorrente de sua violação;[...]”

Já no Código Civil, a relação poderia ser estabelecida a partir do art. 21, dentro dos Direitos da Personalidade:

“A vida privada da pessoa natural é inviolável, e o juiz, a requerimento do interessado, adotará as providências necessárias para impedir ou fazer cessar ato contrário a esta norma.”

E não vejo distante as hipóteses de imputação legal dentro dos crimes contra a honra do CP.

Feita tal apreciação da legislação prévia, interessante sob o aspecto legal, conhecermos alguns pontos importantes tratados na lei. Sem nenhuma dúvida, a questão da neutralidade é um dos aspectos mais importantes, pois apontado como princípio (art. 3º), visa garantir o tratamento das informações que trafegam pela internet da mesma forma, de modo a que todas as informações fossem acessadas com a mesma velocidade. Mas a própria lei regula, incisos abaixo, que o governo pode transformar qualquer conteúdo, o que obriga provedores de internet a deixar tais assuntos como indisponível para acesso a usuários comuns.

A exceção soa estranha, assim como me soa estranha a decisão de não limitar o exercício da profissão de jornalista a quem o seja formalmente. E mais estranho ainda, a regulamentação do que vem a ser Sociedade Civil e seus “poderes”. Mas o artigo é técnico e não político.

marco-civil-internet

Logo, de volta à lei, outro ponto importante que podemos destacar é o da Responsabilização Civil pelos danos decorrentes de conteúdo gerado por terceiros, se após a devida notificação judicial, não tomar medidas para que impossibilitar o acesso ao conteúdo indesejado. É o que dizem os artigos 18 e 19:

“Art. 18.  O provedor de conexão à internet não será responsabilizado civilmente por danos decorrentes de conteúdo gerado por terceiros.
Art. 19.  Com o intuito de assegurar a liberdade de expressão e impedir a censura, o provedor de aplicações de internet somente poderá ser responsabilizado civilmente por danos decorrentes de conteúdo gerado por terceiros se, após ordem judicial específica, não tomar as providências para, no âmbito e nos limites técnicos do seu serviço e dentro do prazo assinalado, tornar indisponível o conteúdo apontado como infringente, ressalvadas as disposições legais em contrário.
§ 1o A ordem judicial de que trata o caput deverá conter, sob pena de nulidade, identificação clara e específica do conteúdo apontado como infringente, que permita a localização inequívoca do material.”

Mas atenção porque o STJ já se manifestava de modo contrário ao que determina a nova Lei, quando determinava que o provedor deveria suspender páginas preventivamente quando recebesse notificação extrajudicial. Mas repare que os artigos supracitados falam em decisão judicial. É uma celeuma pequena, mas que no universo do concurso jurídico pode representar uma questão a mais (ou a menos).

De volta à lei, ou melhor, inspirado na lei, sugiro que conheça ainda tudo o que diz respeito ao Big Data e os reflexos disso à luz do Marco. Lembrando que essa superficial análise fez somente uma introdução sobre o tema, sendo oportuna a leitura da lei em seus 32 artigos.

A título de curiosidade e para fins de estudo sobre o processo legislativo, saiba que o projeto do Marco Civil da Internet foi tratado como Urgência Constitucional no dia 11 de Setembro de 2013.

Como gabaritar em informática?

Com a participação da Profª Ana Castilho

 

prof-ana-castilhoExperiência em ministrar aula via-satélite e internet. Formação Acadêmica Pós Graduação Gerência de Projetos de tecnologia da Informação – UNISUL – Palhoça/SC; Pós Graduação Gestão Empresarial -FGV – RJ/RJ; Pós Graduação Lato Senso em Ciência da Computação – Universidade Santa Cecília – Santos/SP; Graduação em Tecnólogo de Processamento de Dados – Fundação Lusíada – Santos/SP; Graduação Matemática para Informática – Universidade Brás Cubas – Mogi das Cruzes /SP; Curso de Aperfeiçoamento Pedagógico (em cumprimento a nova lei de ensino) – FATEC – Santos/SP.

 

 

Para muitos concurseiros, saber lidar com um computador significa se dar bem na matéria de informática. Este é um grande engano! A matéria envolve termos e figuras que devem ser analisados minuciosamente.

 

Segundo a professora do IOB Concursos Marcato, Ana Castilho, o problema é que na hora da prova o aluno não poderá contar com um computador disponível. “Em sala, derrubo esta tese resolvendo questões de outras provas.” – Complementa ela.

 

Os termos técnicos muitas vezes podem pegar o candidato de surpresa e neste momento, resolver provas de questões anteriores pode ajudar a conhecer as características de como a matéria é cobrada. Segundo a prof.ª Ana, o programa Excel é um dos mais difíceis quando é cobrado nas provas, pois envolve também, as matérias de exatas.

 

Para realizar uma prova na parte de informática, muitas vezes é preciso ter conhecimentos em outras matérias, como Matemática, Raciocínio Lógico, Economia e muitas outras. A prof.ª explica ainda que a tendência desta disciplina é que ela desapareça dos editais, citadas individualmente. Aconteceu por exemplo, no último concurso da Caixa Econômica Federal, ninguém conseguia achar a disciplina, mas ela estava contemplada dentro do tema de Atualidades.

como-gabaritar-informatica

Perguntamos ainda à professora sobre a “decoreba” para sua matéria e veja o que ela respondeu: “Sou totalmente contra, ensino usando técnicas de memorização e pedagógicas, com conceitos práticos do dia-a-dia. Faço isso há quase 10 anos.”

 

E para colocar em prática e exemplificar seu aprendizado sobre este artigo seguem abaixo, alguns exemplos de questões que a própria Ana forneceu, bons estudos!

 

01. PC/SP/2009 Escrivão – VUNESP

O aplicativo Excel da suíte Microsoft, na sua configuração padrão e versão em português resolverá as operações de uma equação matemática na seguinte ordem:

a) adição e subtração; multiplicação e divisão; potenciação.

b) multiplicação e divisão; potenciação; adição e subtração.

c) multiplicação e adição; divisão e subtração, potenciação.

d) potenciação e multiplicação; divisão; adição e subtração.

e) potenciação; multiplicação e divisão; adição e subtração

 

02. INSS/2008 Analista – CESPE-UNB

Considere que, em uma planilha do Excel, as células C2, C3 e C4 contêm, respectivamente, os números 238, 285 e 251, referentes a pagamentos de contas de luz de um usuário em três meses sucessivos. Nessa situação, para se calcular a média aritmética dos três valores e apresentar o resultado na célula C5, é suficiente realizar a seguinte sequencia de ações: clicar a célula C5, digitar = (C2 + C3 + C4)/3 e, em seguida, teclar Enter.  (CERTO ou ERRADO)

 

Informática dentro de Noções de Direito Administrativo – FCC

 

03. TRT 13º 2014  (Arquivologia, Contabilidade, Enfermagem, Engenharia de Segurança do Trabalho, Estatística, Fisioterapia, Medicina, Medicina do Trabalho, Odontologia, Psicologia)

O Project Management Institute − PMI tornou-se referência como uma das principais associações profissionais em gerenciamento de projetos. O PMBOK é uma das principais publicações do instituto e envolve nove áreas do conhecimento, dentre as quais,

a)      a pesquisa de satisfação do cliente.

b)     a certificação de qualidade.

c)      as ferramentas de auditoria.

d)     o gerenciamento de escopo.

e)      o mapeamento estratégico.

 

RESPOSTAS:

Questão 01, E / Questão 02, Certo / Questão 03, D

 

O que faz um Agente Penitenciário?

Muitas vezes, esse cargo é confundido com carcereiro, explicamos: diferente do carcereiro, o agente não é um policial, por esse motivo, não anda armado e tem como função de garantir a ordem, disciplina, vigilância interna, encaminhar os presos ao médico, garantir, educação, alimentação e lazer, além de que com suas experiências de fora da cadeia ajudem na ressocialização do detento.

481121301

A profissão é considerada uma das mais antigas da história da humanidade e, hoje, para exercer o cargo é necessário prestar concurso público. O canditado deve possuir ensino médio ou superior. A remuneração é R$ 3.000,00, em média.

 

Conversamos com o Agente Penitenciário Fagner Gir, que exerce a função há mais de 1 ano e explicou como funciona seu dia-a-dia:

“A rotina é tensa e é necessário sempre estar em alerta, pois, quando se trata de fugas ou burlar a segurança, os detentos são criativos. Tudo começa logo pela manhã, rendemos o plantão noturno, conferimos se todos os detentos estão em suas respectivas celas, entregamos o café da manhã. Exceto no pavilhão onde será realizado a blitz.”

 

Segundo Fagner, a blitz é necessária para procurar objetos que não são permitidos entre os presos, assim como atividades suspeitas.

 

“Depois da blitz, fornecemos o almoço e no decorrer do dia acompanhamos os detentos em atendimentos com advogados, oficial de justiça, médico e dentista. A tarde eles são trancafiados novamente e é feita uma nova contagem pra certificar que todos estão na unidade.”, complementa.

 

É aconselhável o conhecimento das leis e normas do sistema penitenciário, pois são conhecimentos necessários para a atuação da profissão. De acordo com os dados da Organização Internacional é uma das profissões mais perigosas do mundo, por isso é necessário pensar muito bem antes de seguir este caminho. Além disso, o sistema penitenciário ainda conta com o problema da superlotação.

 

Entretanto, segundo nosso entrevistado, tudo compensa quando se ama o que faz:

“Existem dois dias importantes na vida de uma pessoa. O dia em que ela nasce e o dia que ela descobre para o que nasceu. Eu amo meu trabalho. Minha satisfação é ajudar a proteger o cidadão. Acordo toda manhã e vou feliz ao meu trabalho, sei dos riscos, mas farei e faço o possível para exercer bem minha função. Se deseja ajudar o Brasil a ser um país melhor, venha para o sistema, mas venha com vontade de fazer a diferença.”

 

As dicas para quem quer prestar esse concurso é estudar bastante, pois, apesar da prova não ser muito difícil, é bastante concorrida. Existe ainda o teste psicológico. A dica é manter-se calmo, descansar bastante e ir realizar o teste com a cabeça limpa.

 

Outra dica importante é praticar atividades físicas ou, até mesmo, alguma arte marcial, já que no teste físico são exigidos exames, como: corrida, abdominal, barra e flexão.

 

Gostou? O IOB Concursos Marcato oferece o curso prepartatório para o concurso de Agente Penitenciário.

Mais de 40 mil vagas estão abertas. É a sua chance!

Mapa-do-Brasil

Quem quer garantir uma das 40.006 vagas abertas? Os concursos são concorridos e as oportunidades são imensas, então, aproveite este ano promissor para estudar como nunca e tenha uma vantagem entre seus concorrentes.

 

Uma dessas vagas pode seu sua! Garanta seu futuro, e desfrute das vantagens de ser um funcionário público.  Estude online no IOB Concursos Marcato.

 

Clique aqui para conferir as vagas abertas.

Saiba tudo sobre o cargo de Analista Judiciário!

O que faz um Analista Judiciário?

Esse cargo é tão popular e necessário como o cargo de escrevente, afinal, é comum entre todos os Tribunais de Justiça ou Tribunais Federais. O salário pode variar entre R$ 3.000 e R$ 5.500, dependendo do foro e da região.

 

As atribuições do cargo de Analista Judiciário podem ser também de natureza administrativa (recursos humanos, atendimento ao público, arquivos e afins) ou jurídica (trabalhar diretamente com o juiz). Existem casos de oficial de justiça que são responsáveis pelas sentenças que devem ser cumpridas.

analista-judiciario-blog

Entramos em contato com o Tribunal de Justiça do Paraná que nos forneceu especificamente as funções de um analista judiciário, que incluem:

 

 - Analista Judiciário – Área Jurídica

Atividades de planejamento, organização, coordenação, supervisão técnica, assessoramento, estudo, pesquisa, elaboração de certidões, pareceres, execução, conferência e redação de documentos; conferência de expediente diversos; laudos ou informações e execução de tarefas de natureza e grau de complexidade correlatos.

 

 - Analista Judiciário – Área Administrativa

Atividades de execução qualificada sob orientação e supervisão, envolvimento funções de contabilidade, finanças e auditoria públicas; contar, em todos os feitos, antes da sentença ou de qualquer despacho definitivo, mediante ordem do Juiz, os emolumentos e as custas; proceder à contagem do principal e dos juros nas ações referentes a dívidas em quantias certas e nos cálculos aritméticos que se fizerem necessários relativamente a direitos e obrigações; fazer o cálculo para pagamento de impostos; elaborar cálculos em geral, bem como proceder à contagem de custas e preparo de recursos; elaborar e efetuar laudos de avaliação; expedir certidões de atos e documentos de sua exclusiva competência; executar outras tarefas de natureza e grau de complexidade correlatos.

 

Saiba Tudo Sobre a Magistratura

Por Leonardo Moreira Pereira

 

foto_leonardo_pereira

 

LEONARDO PEREIRA é Advogado graduado pela PUC de Minas Gerais. Possui pós-graduação em Direito Público e em Direito Privado, ambas pelo Instituto Metodista Isabela Hendrix. Mestre em Direito Empresarial pela Faculdade de Direito Milton Campos. Ex-Diretor de Ensino do Praetorium, Instituto de Pesquisa, Ensino e Atividade de Extensão em Direito. Atualmente é Diretor Acadêmico do IOB Concursos Marcato.

 

 

Quem planeja prestar concurso para a Magistratura estadual, precisa saber o que a profissão exige que os aprovados no concurso exerçam uma das mais importantes funções do estado democrático de direito. Sim, sem exageros, a análise de legalidade de todos os atos da administração pública, privada, relações entre pessoas, defesa do consumidor, proteção a mulher, idoso, situações ambientais. Tudo o que passar por sua cabeça, pode terminar nas mãos de um juiz. Até seu amor.

 

E sendo depositário de tamanha responsabilidade, o mínimo que se espera é que o profissional selecionado saiba exatamente o que está fazendo, para não prejudicar qualquer pessoa. Pensando nessas incumbências, sugerindo a ilibação moral desse cidadão, e na bagagem que ele levaria para o exercício da profissão (em algumas situações esse funcionário público será também a maior referência social na cidade), a Emenda Constitucional n. 45 de 2004, passou a exigir que para a posse dos novos magistrados, se comprovasse o exercício de atividade jurídica por 3 anos.

 

Sem dúvida alguma, passa a ser esse o maior dos requisitos para ingresso na Magistratura (claro, válido também para a Magistratura Federal), ao lado de ter sido aprovado no concurso, ser brasileiro nato ou naturalizado, estar em pleno gozo dos direitos civis e militares (os homens), gozar de boa saúde física e mental e claro, não possuir antecedentes criminais.

magistratura-blog-iob

Logo que foi promulgada a EC. n.º 45, muito se discutiu sobre como se comprovariam os 3 anos de atividade jurídica, situação hoje já superada: 5 movimentações por ano privativas de advogado (petição inicial, remédios constitucionais, apelações e outros) ou o tempo de dedicação à atividades acadêmicas, como pós-graduações, mestrados e doutorados, pelo tempo de duração dos cursos.

 

Em relação às disciplinas que são cobradas nos concursos dos Estados e quais seriam as mais importantes, temos que pensar que quando o juiz assume uma comarca, ele tem que estar preparado para julgar todas as matérias que são da competência de um juiz estadual. Logo, para ser aprovado na Magistratura, o candidato tem que estar muito bem preparado em tudo. Mas ok, são as matérias de: Direito Constitucional, Direito Administrativo, Direito Civil, Direito Processual Civil, Direito Penal, Direito Processual Penal, Direito Empresarial e Direito Tributário. Consumidor não? Claro que sim, tanto quanto Eleitoral, Ambiental… mas as anteriores tem mais peso.

 

Com esses pontos bem entendidos, o primeiro passo é estabelecer um bom plano de estudos e estudar muito, já que na maioria das vezes, a oferta de vagas não é superada pelo número de aprovados, que sempre se apresentam com preparação aquém do que é esperado para um juiz.