Ainda não inventaram uma fórmula mágica que determina quantas horas por dia é preciso estudar para ser aprovado. Cada pessoa tem um ritmo de aprendizado, cada concurso demanda um nível de conhecimento, cada disciplina requer um tanto de dedicação. São inúmeras variáveis.

Se você tem o dia todo para estudar, maravilha.

Mas se, como eu, você precisa encaixar milhares de tarefas dentro do seu dia, 24horas podem parecer insuficientes. Eu costumo dizer que se encontrasse a lâmpada mágica, pediria ao gênio que me desse dias de 30 horas. Ou 40.

Atualmente, não estou estudando para concursos, mas sou mãe (e pai), trabalho das 7h às 17h, cuido da casa, e trabalho a noite, com prazos apertadíssimos. Então tive que dar um jeito de conseguir moldar meu dia para dar conta de tudo.

A primeira providência importante foi justamente enumerar todos os afazeres. E eu demorei para descobrir isso… Tanto que perdi diversas noites de sono terminando trabalhos urgentes porque não me organizei antes.

Com os seus estudos também deve ser assim.

Em primeiro lugar, é preciso definir um plano semanal ou até mesmo mensal. E você precisa listar tudo que precisa fazer naquele período de tempo. Tire um ou dois dias, antes de começar, para preparar o seu cronograma.

É possível fazer uma espécie de “banco de horas” de estudo: se você não conseguiu terminar o que tinha que terminar hoje, termine amanhã; da mesma forma, se conseguiu ir além do planejado hoje, permita-se descansar um pouquinho mais amanhã. Seu calendário deve ser flexível, de modo que você consiga adaptá-lo sempre que necessário. Mas você precisa segui-lo. Não deixe acumular horas demais no banco!

A previsão de recompensas também ajuda bastante: quando finalizar determinado conteúdo, permita-se um dia de folga. Ou um jantar com o(a) namorado(a).

Ter um lugar tranquilo, quieto e organizado para estudar é fundamental. Mantenha tudo que precisa para seus estudos neste local, de modo que não precise sair para pegar um livro, por exemplo. Fique longe de televisão, desligue o celular. Você precisa aproveitar bem cada minuto do tempo disponível. Existem ótimas ferramentas online (como o próprio Google Calendar) que ajudam na organização das atividades.

Tenha em mente que nem todos em seu trabalho entenderão que você é um estudante e nem da sua família entenderão que seu tempo é contado. Vai ter gente insistindo para você ir a happy hours, vai ter tia reclamando que você não foi no almoço, vai ter muita chateação sim. Ao menos, deixe todos informados. Diga que está buscando a sua melhora de vida, e que conta com a compreensão de cada um deles.

Infelizmente, não é possível abrir mão dos fins de semana, mas também não é nada recomendável que você não tenha tempo de descanso. Reserve momentos de lazer, e não deixe de praticar atividades físicas. Exercícios físicos ajudam na oxigenação do cérebro, e isto colabora com a melhor fixação dos conteúdos estudados.

Quando desanimar, lembre-se do seu objetivo: por que está estudando? A resposta a esta pergunta vai te ajudar a manter o foco e a força. Seja positivo e se considere privilegiado: muitas pessoas não têm a oportunidade de trabalhar, de estudar e nem muito menos de fazer as duas coisas.

Vai ser fácil? Não. Nem um pouco. Mas vai valer a pena.

Para mim, os dias ainda continuam tendo 24 horas (pois é… ainda não encontrei a tal lâmpada), mas eu já não passo mais madrugadas trabalhando.

😉

 

Luciana Pimenta. Mãe em tempo integral. Coordenadora Pedagógica no IOB Concursos em horário comercial. Advogada quando necessário. Autora, revisora e diagramadora quando sobra tempo. E ainda caminhando.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *