dicas de português

Então, conforme prometido, vamos analisar as funções da partícula “se”. E já adianto que este é um dos temas mais chatos do português… E olha que eu realmente amo a língua portuguesa! Então pra eu achar uma coisa chata, ela tem que ser chata mesmo!

A partícula SE pode ter diversas classificações:

 

1) Apassivadora do sujeito

Aqui, o SE liga-se a um verbo transitivo direto e a ideia é que a frase pode ser lida “de trás para frente”. Veja:

Venderam-se casas. (De trás para frente fica: casas foram vendidas).

O verbo só pode ser transitivo direto, e combina com o termo que vem depois dele, justamente porque, ao inverter a ordem da frase, este termo se torna o sujeito.

A frase do exemplo está na voz passiva sintética, e a “de trás pra frente” está na voz passiva analíticas. Mas isso é assunto para outra hora.

 

2) Índice de indeterminação do sujeito

Aqui, o SE liga-se a u verbo intransitivo, transitivo indireto ou de ligação. é bem fácil identificar esta classificação: basta substituir o “se” por “alguém” ou “ninguém”, e movê-lo para antes do verbo (mas lembre-se que o verbo não pode ser alterado na substituição). Se a frase fizer sentido, temos a classificação. No exemplo fica bem fácil de entender:

Precisa-se de vendedora com experiência.

Olha que legal a substituição: Alguém precisa de vendedora com experiência. Faz sentido, né? Então pronto: este “se” é um índice de indeterminação do sujeito, e, olha que simples, temos um sujeito indeterminado (lembra que vimos as classificações de sujeito nos posts anteriores?)

Agora veja o exemplo que demos antes, quando o “se” era partícula apassivadora: Vendem-se casas. Se substituirmos, fica “alguém vendem casas”. Não funciona. Porque o verbo não pode ser alterado, lembra? E “alguém” não concorda com “vendem”. Então não dá. O “se” aqui não é índice de indeterminação.

 

3) Pronome

Um pronome é a palavra que se usa em lugar do nome, ou a ele se refere, ou ainda, que acompanha o nome qualificando-o de alguma forma. Aqui, a palavra SE pode ser:

– pronome reflexivo. Ex.: O garoto se machucou brincando;

– pronome pessoal recíproco ou reflexivo recíproco. Ex.: João e Maria se olharam e se apaixonaram.

– pronome fossilizado ou parte integrante do verbo: verbos pronominais são aqueles que necessariamente trazem para junto de si o pronome oblíquo. Ex.: arrepender-se, submeter-se., etc.

 

4) Conjunção

Conjunção é o vocábulo ou sintagma invariável, us. para ligar uma oração subordinada à sua principal, ou para coordenar períodos ou sintagmas do mesmo tipo ou função. Como conjunção, o SE não possui função sintática, mas tem extrema utilidade no período pois ligará a oração subordinada à oração principal, nas orações adverbiais e nas orações integrantes.

Vamos ver as orações e suas classificações mais para frente, mas pelo exemplo a seguir já dá pra entender um pouquinho: Não tenho certeza se esta é a melhor escolha.

 

E chega por enquanto!

 

Luciana Pimenta. Mãe em tempo integral. Coordenadora Pedagógica no IOB Concursos em horário comercial. Advogada quando necessário. Autora, revisora e diagramadora quando sobra tempo. E ainda caminhando.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *