Dicas de Português para Concursos: Análise Sintática

0
361

dicas de portugues para concursos publicos

Tempos atrás, falamos em três posts, sobre análise sintática (aqui, aqui e aqui).

Vamos retomar o estudo da nossa língua nessa e nas próximas semanas. Com a proximidade de provas em que a disciplina é cobrada, nada melhor que algumas dicas pontuais para garantir alguns pontinhos a mais na prova.

Hoje vamos analisar um ponto bem tranquilo, ainda dentro da Análise Sintática: complementos verbais.

Complementos verbais são termos integrantes das orações que não aparecem quando estamos diante de um verbo intransitivo (portanto, são termos que podem não aparecer em determinados períodos). Contudo, quando estamos diante de orações com verbos transitivos diretos e/ou indiretos, obrigatoriamente teremos objetos diretos e/ou objetos indiretos, e estes são justamente os complementos verbais.

Observe, a princípio, que um verbo só poderá ser classificado quanto à sua transitividade em um determinado contexto. Veja os exemplos bem claros do professor Pasquale:

“O pior já passou.” (intransitivo)

“Nos últimos anos, a Fiat passou a Volkswagen na preferência dos brasileiros.” (transitivo direto)

“Você precisa passar as novidades aos colegas.” (transitivo direto e indireto)

Visto isso, passamos a algumas especificidades dos complementos verbais.

 

a) Pronomes oblíquos

Os pronomes o, a, os, as serão, exclusivamente, objeto direto. Os pronomes lhe, lhes serão, exclusivamente, objeto indireto. Regras que trazem afirmações peremptórias são fáceis.

Exemplo:

A mãe deixou a filha na escola. // A mãe deixou-a na escola.

A notícia interessava a vocês. // A notícia interessava-lhes.

Os pronome me, te e se podem ser objeto direto ou objeto indireto, a depender do verbo.

Exemplo:

Escolheram-me para representante de classe. (escolher é transitivo direto, portanto me é objeto direto)

Suas dívidas não me pertencem. (pertencer é transitivo indireto, portanto me, aqui, é objeto indireto)

 

b) Objeto direto preposicionado

Em alguns casos, por razões morfossintáticas ou por necessidades expressivas, o objeto direto é introduzido por uma preposição. Observe que para identificar este tipo de complemento, é necessário que o verbo seja transitivo direto e que o objeto direto esteja precedido de preposição.

Exemplo:

Já comi destes doces. (o verbo comer é transitivo direto e não exige a preposição. Portanto, destes doces é objeto direto preposicionado)

 

Na semana que vem, falaremos sobre os complementos nominais.

Deixe um Comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here